BIG News
Home / Economia / Construção Civil / Construção civil cresceu 23,3% entre 2009 e 2010

Construção civil cresceu 23,3% entre 2009 e 2010

Impulsionado pelo avanço do crédito imobiliário e dos empréstimos do BNDES a grandes obras de infraestrutura, o setor de construção civil obteve bons resultados em 2010, quando o valor das obras e serviços cresceram 23,3% em termos reais.

As informações são da Pesquisa Anual da Indústria da Construção, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE com os últimos dados disponíveis para o setor.

Segundo o levantamento, o país tinha 79,4 mil empresas na área de construção, número 24,6% superior ao registrado em 2009 (52,9 mil). Essas firmas geraram obras e serviços no valor de R$ 250 bilhões em 2010 –42,8% dos quais haviam sido encomendadas pelo setor público, principal “cliente” das construtoras.

As empresas do setor empregavam 2,479 milhões de pessoas em 2010, quase 500 mil pessoas a mais que os 2,044 milhões de 2009.

O rendimento dos trabalhadores também cresceu: 8,7% na comparação com 2009. Pelos dados do IBGE, o salário médio mensal dos empregados em construção civil foi de R$ 1.300 em 2010.

De acordo com o IBGE, o setor de construção sofreu impacto positivo de um “conjunto de fatores”, que inclui a maior oferta de crédito imobiliário e do BNDES, além de crescimento de emprego e renda.

Original na Folha você encontra aqui.

Comentários

comentário(s)

Sobre Carlos Galassi

Arquiteto formado pela FAU/UFBa, possui especialização (MBA) em Gerenciamento de Projetos na FGV. Tem ampla experiência na implantação, gerenciamento e manutenção predial de empreendimentos de grande porte da Construção Civil, já tendo desempenhado estas atividades fora do Brasil. Além de Desenvolvedor e Editor do BIG, atua como Voluntário no PMI Capítulo Bahia como Diretor de Comunicação e Marketing e é sócio da OCA Solutions, empresa de consultoria empresarial.

Confira também

IGP-M desacelera em Outubro

Segundo a FGV/IBRE, o índice mostra novo recuo na segunda prévia de outubro O Índice …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *