BIG News
Home / Biblioteca BIG / Livro: Gerenciamento de Pessoas em Projetos

Livro: Gerenciamento de Pessoas em Projetos

O livro está dividido em oito capítulos. Nele, estuda-se uma das mais importantes e difíceis áreas de conhecimento que um gerente de projetos deve possuir para conseguir o sucesso de seu empreendimento: pessoas.

No primeiro capítulo, são vistos os desafios que impactam o gerenciamento de pessoas nas organizações que atuam em ambiente competitivo globalizado, o que significa e no que implica a existência de diferenças culturais entre as pessoas, quais são os fatores que constituem a diversidade nas equipes, as questões éticas e morais enfrentadas pelos gerentes e as inovações tecnológicas no ambiente de trabalho.

No segundo capítulo, tratam-se questões relacionadas ao gerente de projetos (GP), suas responsabilidades, seu papel em pequenos, médios e grandes projetos e as habilidades das quais necessita para se tornar um GP eficiente. A análise de responsabilidades é feita pelo GP para garantir que todas as atividades do projeto tenham um responsável e, se for preciso, sejam designadas pessoas adicionais para o cumprimento das tarefas estabelecidas. Essa análise é realizada na fase de planejamento do projeto e, segundo o PMI, resulta em uma matriz bidimensional denominada Matriz de Designação de Responsabilidades (Responsibility and Assignment Matrix – RAM).

Já no terceiro capítulo, aborda-se o planejamento das pessoas que fazem parte da equipe de um projeto, incluindo a definição da estrutura organizacional do projeto, bem como a definição dos requisitos de pessoas no projeto para fazê-lo acontecer. Discute-se também o planejamento de processos de gerenciamento de pessoas: recrutamento e seleção; remuneração; gerenciamento de desempenho; treinamento e desenvolvimento. Por fim, é apresentada uma visão geral do conteúdo do plano de gerenciamento de pessoas.

No quarto capítulo, discutem-se pontos importantes para a formação de equipes de projetos, em especial equipes consideradas de alto desempenho. Para tal, é feita uma comparação entre organizações tradicionais e as chamadas organizações de alto desempenho. São examinados tipos de equipe, a questão da integração, bem como papéis e responsabilidades. Abordam-se ainda as etapas de transição de uma equipe, as habilidades das equipes de alto desempenho, as fases de desenvolvimento e as estratégias de atuação das mesmas.

No quinto capítulo, descreve-se o novo impacto nas relações entre o empregado e o empregador, com a pessoa tendo agora autogestão sobre sua carreira, a evolução e abrangência do conceito de competência no gerenciamento de pessoas, como tratar o desenvolvimento de equipe e o conceito de universidade corporativa.

No sexto capítulo, são mostrados exemplos do processo de seleção por competências, são tratadas as questões de designação de pessoas, remuneração estratégica e feedback para garantir excelência no desempenho. A liderança situacional, os estilos de liderança mais usados e como os gerentes devem delegar tarefas são temas abordados em conjunto. É vista a conseqüência do estilo do líder no clima organizacional e os diferentes tipos de relacionamentos durante o projeto, assim como os indicadores que o GP precisará para medir sua eficácia no gerenciamento de pessoas.

No sétimo capítulo, o gerenciamento de conflitos é apresentado com um pequeno histórico das visões tradicional, contemporânea e interacionista, níveis de conflito, como eles ocorrem no ambiente de um projeto, a relação entre os conflitos e estresse e como gerenciar estes conflitos.

No oitavo capítulo, são vistas as quatro teorias sobre motivação, Teoria da Hierarquia das Necessidades de Maslow, Teoria das Necessidades de Alderfer, Teoria Higiênico-Motivacional de Herzberg e a Teoria das Necessidades de Conquistas Pessoais de McClelland, que respondem à pergunta: o que motiva as pessoas? E as oito teorias dos processos sobre motivação que respondem à pergunta: como as pessoas são estimuladas? Entre elas a Teoria X e Y de McGregor, Teoria Cognitiva da Expectativa de Vroom, Teórica Cognitiva do Reforço de Skinner.

O livro é finalizado com as conclusões sobre os desafios enfrentados pelos projetos no mundo e, em especial, no Brasil.

Autores: Paulo Pavarini Raj, Ana C. Trintenaro Baumotte, Dóris Pereira D’Alincourt Fonseca, Lauro H. de Carvalho M. da Silva

Notas e Referencias

Este livro faz parte da bibliografia básica utilizada ao longo do MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV e a publicação original desta resenha você encontra aqui.

Você ainda pode ler todas as resenhas dos livros estudados nas demais disciplinas, além de outros títulos complementares e bem interessantes junto com alguns TCC  consultando a Biblioteca BIG.

Boa leitura e não esqueça de deixar o seu comentário e sugestões! 

Comentários

comentário(s)

Sobre Carlos Galassi

Arquiteto formado pela FAU/UFBa, possui especialização (MBA) em Gerenciamento de Projetos na FGV. Tem ampla experiência na implantação, gerenciamento e manutenção predial de empreendimentos de grande porte da Construção Civil, já tendo desempenhado estas atividades fora do Brasil. Além de Desenvolvedor e Editor do BIG, atua como Voluntário no PMI Capítulo Bahia como Diretor de Comunicação e Marketing e é sócio da OCA Solutions, empresa de consultoria empresarial.

Confira também

Artigo: BMW and Brazilian Federal Goverment: Enhancing the automotive industry regulatory environment

Artigo do Professor Rodrigo Navarro em conjunto com os também professores André Valle e Murilo Dias, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *