BIG News
Home / Gestão / PDCA na construção civil requer adaptação

PDCA na construção civil requer adaptação

Especialista afirma que ferramenta é adaptável a qualquer segmento da economia e recomendado a pequenas e médias empresas

O Ciclo PDCA, sigla em inglês para Plan-Do-Check-Act (planejar-fazer-checar-agir) está arraigado em algumas empresas, sobretudo nas gigantes nacionais e nas multinacionais. No entanto, ainda é visto como inovador em companhias de pequeno e médio porte, principalmente as ligadas à cadeia produtiva da construção civil. Para o consultor empresarial Everton Carsten, a aplicação do PDCA neste segmento depende do desenvolvimento de uma linguagem apropriada. Obtida a adaptação, entende o especialista, os resultados virão de acordo com a forma de se planejar e do envolvimento dos colaboradores com o sistema de qualidade. Confira na entrevista a seguir:

Quais segmentos da economia costumam aplicar com mais frequência o PDCA?
O PDCA teve um uso muito intenso no segmento metal mecânico, demandado muito pela indústria automobilística. No entanto, com a disseminação do sistema Toyota de Produção, das capacitações em Ferramentas da Qualidade e demais práticas de melhoria dos processos, e também por meio de sistemas de gestão que tem o PDCA como base, outros segmentos começaram a utilizá-lo.

No caso da construção civil, qual é a demanda pelo Ciclo PDCA?
Com o apoio dos Sindicatos da Construção Civil, a filosofia da melhoria da qualidade começou a ser implantada nas construções e, consequentemente, a aplicação do PDCA para o desenvolvimento de projetos e processos ganhou corpo no setor.

A aplicabilidade do PDCA na construção civil requer adaptações nos conceitos que integram esse modelo de gestão de qualidade?
Não vejo a necessidade de adaptação do PDCA para a aplicação na construção civil. O que é necessário é correlacionar a linguagem da construção civil com a do PDCA, pois é uma ferramenta que é totalmente adaptável a qualquer meio que utilizarmos. Basta compreendermos a sua forma e a sequência de funcionamento.

Hoje há muitos engenheiros procurando estudar o Ciclo PDCA?
Eu diria que é necessário que engenheiros tenham o pleno conhecimento, e também saibam aplicar o Ciclo do PDCA. Porém, a procura não é muito significativa, principalmente em relação aos treinamentos específicos de MASP (Método de Análise e Solução de Problemas), onde o PDCA é a ferramenta principal deste método.

A partir do PDCA, como é possível saber se um problema está sendo resolvido de forma correta?
O próprio ciclo do PDCA nos leva a este entendimento, de que o problema em questão está sendo resolvido de forma correta. Nos estágios de C – Check (verificação) e A – Action (Ação e Melhoria) temos condições de avaliar se as ações que foram planejadas e realizadas para a solução do problema foram as melhores. Havendo a necessidade de correção, nestes estágios poderemos verificar e já projetarmos melhorias que levem a soluções de problemas.

Até que ponto o PDCA permite saber se propostas ou novas ideias para um projeto irão funcionar?
No estágio P – Plan (Planejamento) podemos utilizar ferramentas que nos proporcionam informações para a tomada de decisão do melhor caminho a ser seguido. Esta é a visão japonesa, ou seja, devemos nos dedicar mais tempo para planejar, pois certamente a execução será feita de forma mais rápida e assertiva. Por isso, quanto mais dados e estatísticas forem utilizados no processo de planejamento, melhor será a nossa execução. Seja para o desenvolvimento de um projeto seja para a solução de um problema.

O Ciclo PDCA é o mais recomendado para pequenas e médias empresas, que precisam implantar mudanças sem desperdiçar recursos?
Certamente, o ciclo do PDCA é a melhor ferramenta para ser utilizado pelas pequenas e médias empresas para a realização de melhorias e também para obter a solução de problemas. Esta postura também impacta no uso de recursos, pois quando planejamos melhor as nossas ações o uso dos recursos é desenvolvido de forma mais adequada. Consequentemente, também teremos menor desperdício.

Desde a implantação do PDCA, até a percepção de que ele está trazendo resultados, há um intervalo de tempo definido ou depende de empresa para empresa?
A velocidade de aparecer os resultados depende de cada empresa, pois o envolvimento das pessoas conta muito neste processo. Quanto mais as pessoas se envolverem e se dedicarem em aplicar o Ciclo do PDCA, certamente teremos mais resultados.

A empresa que pretende implantar o PDCA precisa ter algum antecedente em gestão de qualidade?
Pela simplicidade e facilidade de aplicação do Ciclo do PDCA não é pré-requisito que a empresa tenha uma estrutura e ou conhecimento de qualidade. O que importa é que a empresa tenha o objetivo de melhorar o seu desempenho. É claro que se ela utilizar os conceitos e aplicar os benefícios que a qualidade proporciona, certamente haverá um melhor resultado.

O PDCA vale apenas para setores como diretoria, recursos humanos e marketing de uma empresa ou ele atinge o chão da fábrica também, disseminando-se na empresa?
O Ciclo do PDCA pode e deve ser aplicado em todos os ambientes da empresa, pois não há distinção de área e ou de cargo para o uso. Quanto mais pessoas utilizando, mais resultados positivos a empresa terá no desenvolvimento da sua cultura de qualidade e também no seu desenvolvimento perante o mercado.

Notas e Referencias

Interessado em noticias e informações sobre Gestão? Então confira aqui uma listagem completa das publicações feitas aqui no BIG!
 
Gostou do nosso conteúdo? Então curta a nossa página no Facebook!
 
A reportagem original por Altair Santos para o Portal Massa Cinzenta você confere aqui.

Comentários

comentário(s)

Sobre Carlos Galassi

Arquiteto formado pela FAU/UFBa, possui especialização (MBA) em Gerenciamento de Projetos na FGV. Tem ampla experiência na implantação, gerenciamento e manutenção predial de empreendimentos de grande porte da Construção Civil, já tendo desempenhado estas atividades fora do Brasil. Além de Desenvolvedor e Editor do BIG, atua como Voluntário no PMI Capítulo Bahia como Diretor de Comunicação e Marketing e é sócio da OCA Solutions, empresa de consultoria empresarial.

Confira também

A triste geração que virou escrava da própria carreira

E a juventude vai escoando entre os dedos. Era uma vez uma geração que se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *